Alerta ligado: Mais um macaco é morto por febre amarela e Itabira intensifica a vacinação

No último dia 06 a Prefeitura de Itabira, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS),  e a Gerência Regional de Saúde (GRS) concederam entrevista coletiva para informar à população sobre a situação de febre amarela e quais os procedimentos de vacinação serão adotados, já que o município foi reclassificado para a “Categoria 3” no protocolo de saúde da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES/MG). Após a coletiva, no final da tarde, a secretária municipal de Saúde, Rosana Linhares, anunciou um novo resultado positivo de febre amarela em outro macaco encontrado morto na cidade, no bairro Hamilton, na região dos motéis.

Por causa do resultado positivo de febre amarela no macaco morto no início de fevereiro, o município está, agora, na “Categoria 3” – municípios com casos e/ou óbitos humanos ou epizootias confirmadas para febre amarela – que orienta aumentar a cobertura vacinal. No entanto, segundo Rosana Linhares, secretária municipal de Saúde, a intensificação de vacinas não significa vacinação em massa. “Esse movimento faz com que tenhamos uma nova técnica de trabalho, que envolve novamente o cuidado com aquela região onde foi encontrado o macaco positivo. Mas, esse processo de cuidado não é vacinação em massa, não existe isso na febre amarela”, explicou a secretária. Ainda de acordo com ela, no caso da febre amarela, é necessário intensificar a cobertura vacinal respeitando os critérios determinados pelo Ministério da Saúde. “Porque existem reações pós-vacina, algumas, inclusive, muito importantes e nós não podemos submeter indiscriminadamente, a população a este processo de convivência com a vacina, sendo que, nem sempre é necessário tomá-la”, ressaltou Rosana Linhares.

Para Alexandre de Faria Martins da Costa, diretor da GRS, não há necessidade de pânico. “É uma doença que preocupa, mas não podemos gerar pânico, pois a vacinação de febre amarela é rotina, não é campanha. Já tivemos um surto de febre amarela silvestre em 1999. Essa vacina segue todos os critérios e vamos ampliar a cobertura. Então, a probabilidade de febre amarela em seres humanos é cada vez minimizada”, salientou Alexandre Martins da Costa.

Na “Categoria 3”, segundo Rosana Linhares, a orientação é vacinar a população nos postos fixos, volantes e casa a casa e, também, “administrar uma dose em bebês de seis até oito meses, mas repetindo outra aos nove meses, conforme o calendário de rotina”, explicou.

Macacos

A superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade, revelou que, até ontem (5), além do macaco encontrado morto pela febre amarela, no dia 9 de fevereiro, em Ipoema, foram registradas as mortes de outros seis primatas que, segundo ela, já foram enviados para análise na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro.

Hoje (6), a SMS anunciou mais um resultado positivo da doença, no primata encontrado morto no dia 11 de fevereiro. “Ele foi recolhido na saída de Itabira, depois do bairro Hamilton, aparentemente por atropelamento. Mas, o resultado da análise da Fiocruz chegou agora e ele estava infectado com o vírus da febre amarela”, frisou Thereza.

No domingo de Carnaval (26/02), outro macaco foi encontrado morto no Parque Estadual Mata do Limoeiro, região de Ipoema, que registrou, na mesma semana – quinta-feira (02/03) – a morte de mais dois macacos. “O de domingo já foi encontrado em estado de decomposição. O responsável pelo parque nos ligou e fomos lá recolher no mesmo dia”, informou a superintendente. Ela disse, ainda, que os dois encontrados na quinta-feira também foram recolhidos e enviados para a Fiocruz. Também no dia 2 de março, um macaco morreu eletrocutado próximo à Policlínica, no bairro Esplanada da Estação e Thereza Andrade reforçou a tese de comportamento alterado. “Não sabemos porque ele estava no local e precisamos saber a causa da morte”.

O sétimo primata, de acordo com Thereza Andrade, foi achado ontem (5), na rodovia próxima à Funcesi – saída da cidade. “Esse foi encontrado depois da faculdade, no pontilhão, na primeira curva à esquerda. Nos mandaram fotos pelo celular e fomos lá recolher. Já mandamos para análise”, explicou.

Cobertura

De acordo com a superintendente Thereza Andrade, mais de 80% da população da zona rural de Itabira está vacinada. Entretanto, o Ministério da Saúde preconiza uma cobertura vacinal acima de 93%. “Ainda estamos atualizando os dados. Não que a gente não tenha atingido esse percentual. Anteriormente, nos tínhamos registrado uma cobertura maior, tanto que não tivemos grande demanda na zona rural, pois já tinha cobertura de rotina. Mas, com certeza, a nossa cobertura na zona rural é de mais de 80% e já deve estar próxima desse índice”, afirmou Thereza.

Mata do Limoeiro

Diante do número de macacos encontrados mortos no Parque Estadual Mata do Limoeiro, em Ipoema, a secretária Rosana Linhares informou que, a Prefeitura de Itabira, por meio da SMS, solicitou hoje (6), ao Governo do Estado, o encerramento temporário das atividades no parque. “Em consenso hoje pela manhã, depois da informação de mais dois macacos mortos no parque, nós já entramos em contato, por meio da GRS, com o Instituto Estadual de Florestas (IEF), solicitando com urgência a interrupção de utilização da área”. Ainda de acordo com ela, “o Estado já está ciente da situação. Tomamos essa decisão e temos essa autoridade aqui na região de Itabira. Imediatamente isso será comunicado aos guardas florestais e o encerramento de trânsito na região (parque) será iniciado”, finalizou Rosana Linhares.

comentários