LesteMais.com | Começa Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe

Começa Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe

Começou dia (18), a Campanha Nacional de Vacinação Contra a Influenza, sendo 13 de maio, o dia de mobilização nacional – Dia D.

A Gerência Regional de Saúde (GRS) entregou dia (17), três mil doses da vacina, quantidade que corresponde ao primeiro lote e, amanhã (19), novo lote será entregue à Secretaria Municipal de Saúde (SMS). “Assim como ocorre todos os anos, a GRS entrega as doses em vários lotes ao longo da campanha”, explicou Thereza Cristina Oliveira Andrade, superintendente de Vigilância em Saúde.

Até o dia 26 de maio, das 9 às 16 horas, a população pode se vacinar nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) dos bairros Água Fresca/Juca Batista, Amazonas/Areão, Barreiro, Campestre, Chapada, Clóvis Alvim, Eldorado, Fênix, Gabiroba de Baixo e de Cima, João XXIII/Machado, Juca Rosa, Pará, Pedreira, Santa Ruth/Santa Marta, Praia, Nossa Senhora das Oliveiras, Policlínica, além dos distritos Ipoema e Senhora do Carmo.

De acordo com Thereza Andrade, neste ano a relação de público-alvo da campanha foi ampliada e professores, em sala da aula, terão prioridade para se vacinar. Para isso, é necessário apresentar declaração original da instituição em que leciona, documento de identidade com foto, contracheque recente e cartão de vacina. “Nossa expectativa é de vacinar 1.500 professores”, ressaltou a superintendente. Ainda segundo ela, o público-alvo preestabelecido pelo Ministério da Saúde é de 55 a 60 mil pessoas e o objetivo da Prefeitura é imunizar, no mínimo, 90% desse público.

Prioridade

De acordo com o Ministério da Saúde, os grupos prioritários são: crianças de seis meses a menores de cinco anos; gestantes e mulheres no período até 45 dias após o parto – neste caso, mediante apresentação de certidão de nascimento do filho, cartão da gestante ou documento do hospital que comprove o parto; trabalhador da Saúde – públicos e privados;  povos indígenas; indivíduos com 60 anos ou mais; adolescentes e jovens entre 12 e 21 anos de idade que estejam sob medidas socioeducativas; detentos e funcionários do sistema prisional; pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, independente da idade.

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *