Concessão de áreas públicas a empresas passará por licitação em Itabira

Projeto que cria regras claras, elaborado pela Prefeitura em consonância com o Ministério Público, foi aprovado pela Câmara Municipal nesta terça-feira

De volta à pauta da reunião ordinária da Câmara Municipal de Itabira, o Projeto de Lei 19/2018, que cria regras mais rigorosas para a concessão de terrenos públicos a empresas, foi aprovado por todos os vereadores nesta terça-feira, 24 de abril. Entre os principais pontos do projeto, destaque para a exigência de chamamento público (licitação) nos casos de concessão ou permissão de uso de lotes para atividades produtivas.

O projeto recebeu uma emenda do vereador Agnaldo Vieira Gomes, Enfermeiro (PRTB), sugerindo a extinção de parte do texto que permitia descontar valores pagos pelo empresário a título de “aluguel” pelo imóvel numa eventual negociação de compra. Enfermeiro alegou não concordar com tal incentivo, mas teve e emenda rejeitada pela maioria em plenário – 13 votos contra e três a favor. Os vereadores recusaram a alteração por entenderem que o incentivo visa atrair novos investimentos.

Carlos Henrique Silva Filho, Carlin (Podemos), líder do Governo na Câmara, voltou a ressaltar que a Administração Pública Municipal precisa aperfeiçoar mecanismos que possibilitem um ambiente de negócios, como faz São Gonçalo do Rio Abaixo. Pela nova regra, toda área destinada à atividade empresarial precisará passar por processo licitatório, permitindo ampla participação.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Utilidade pública

Ainda em primeiro turno, os vereadores aprovaram dois projetos que concedem título de Utilidade Pública Municipal a entidades sem fins lucrativos. O Projeto de Lei 23/2018, de autoria do vereador Ronaldo Meireles de Sena (PV), reconhece como utilidade pública a Associação Itabirana de Sustentabilidade Ambiental. Segundo o parlamentar, a instituição desenvolve diversas ações em benefício do meio ambiente, como campanhas pelo descarte correto do lixo e uso consciente da água.

Foi aprovado em primeira discussão e votação também o Projeto de Lei 24/2018, do presidente Neidson Dias Freitas (PP), que concede título de Utilidade Pública Municipal à Associação Transformar – Mudanças. O reconhecimento pelo Legislativo abre caminhos para as entidades buscarem recursos junto ao poder público.

Pensão das viúvas

Em segundo turno, a Câmara aprovou o Projeto de Lei 113/2017, do vereador André Viana Madeira (Podemos), que acaba com a pensão de viúvas de ex-prefeitos em Itabira. De acordo com o autor da proposta, cada viúva ganha aproximadamente R$ 4,7 mil por mês “simplesmente” por ter sido esposa de ex-chefe do Executivo.

O projeto revoga a Lei 1556/1973, que criou o benefício, e as leis 2039/79 e 2425/87, que reajustaram os salários. “Não faz sentido conceder benefícios a viúva de ex-prefeito. A pensão a familiares de agentes políticos, com critérios especiais, distingue-os indevidamente dos demais cidadãos e cria uma espécie de grupo social privilegiado”, disse André Viana.

comentários