Audiência pública sobre emprego e renda lota Plenário da Câmara

Debate teve participação de entidades importantes, como CDL, Acita, Vale e Prefeitura

A real situação do emprego em Itabira motivou a realização de uma audiência pública que lotou o Plenário da Câmara Municipal nessa quarta-feira, 2 de maio. O debate foi proposto pelo vereador Weverton Júlio de Freitas Limões, Nenzinho (PMN) e contou com a participação de representantes de empresas, do setor público e de associações que representam diferentes segmentos empresariais.

O gerente executivo da Vale, Rodrigo Chaves, foi um dos convidados e respondeu a questionamentos sobre a priorização de empregos para os itabiranos. Ele disse que, no processo de seleção da mineradora feito por meio do site oficial, o candidato itabirano sai na frente na pré-seleção para participar das etapas seguintes do processo. “A partir daí existe a concorrência”, explicou, ao ressaltar que não existe mais o QI (quem indica) na empresa. O gerente da Vale disse ainda que 76% dos funcionários da mineradora são nascidos em Itabira. Considerando os residentes, o percentual sobe para 93%.

Outros números foram apresentados pela empresa, como a quantia paga em salários aos funcionários Vale neste ano, em torno de R$ 168 milhões. Rodrigo Chaves citou também os R$ 65 milhões pagos em Participação nos Resultados (PR) que, conforme ele, movimentou a economia local.

Em relação às empresas terceirizadas, a contratação é feita pelo Sistema Nacional de Empregos (SINE), que deve passar por mudanças na forma de divulgar as oportunidades para privilegiar o candidato itabirano, segundo o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, José Don Carlos.

Em busca de oportunidade

Antes mesmo do início do evento, o representante da Vale já havia sido abordado por pessoas com currículo na mão pedindo ajuda. No momento da audiência, o itabirano Geraldo Magalhães, 58 anos, desempregado há dois anos, se ajoelhou na frente do gerente e clamou por uma oportunidade. “O que eu posso colocar para o senhor, seu Geraldo, é que o mundo vai melhorar, os empregos vão ser gerados e as oportunidades vão aparecer”, disse Rodrigo Chaves.

Para o vereador Nenzinho, autor do requerimento que originou a audiência pública, “a cidade está com o grito na garganta”. “O grande objetivo dessa audiência é a gente colocar Itabira nos trilhos novamente. A população esteve presente porque quer ver a cidade mudada. As pessoas precisam de um retorno nosso, seja da Vale, da Prefeitura, da CDL, da Acita. Estamos todos ansiosos pela recuperação dos postos de trabalho”, declarou o vereador.

comentários