Sindicato Rural e SENAR qualificam produtores

Cursos de laticínios e defumados

Entre os dias 16 e 20 de julho, o Sindicato Rural de Itabira em convênio com o SENAR-MG (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) estão qualificando a mão de obra dos produtores, garantindo uma melhor prestação de serviços, economia doméstica e abrindo leque para melhorar a atuação no mercado.

Dois cursos foram no Centro de Processamento de Alimentos no Parque de Exposições Virgílio José Gazire: o de trabalhador artesanal na pasteurização do leite e fabricação de laticínios e afins (modelo básico), com 13 alunos; e o para fabricação de embutidos e defumados de carne suína, para 10 alunos; ambos com 40 horas-aula de duração.

“Trabalhamos as boas práticas para produzir derivados do leite com segurança na produção sem contaminação e atendermos os padrões de qualidade do mercado, trazendo renda para o produtor. Um dos pré-requisitos exigidos pela legislação para se obter a autorização do IMA (Instituto Mineiro de Agropecuária) e vigilância sanitária no SIM (Sistema de Inspeção Municipal),” explicou Catarina Braga, instrutora do SENAR, do curso de laticínios.

“Num treinamento como esse, abordamos os cuidados de higiene e de matéria prima, que deve vir de um matadouro inspecionado. Depois falamos tecnicamente como é feita a defumação, para ter um produto seguro e sem os agregados dos itens industrializados. Aprendemos a fazer produtos iguais nossos avós faziam. Mas é possível se associar e os produtos naturais e orgânicos ganharem uma fatia do mercado,” destacou Nilton de Alencar, instrutor do curso de defumados.

Os alunos gostaram do que aprenderam. “Curso muito bom e prático. Vou legalizar pelo SIM e ampliar a queijaria. Aprendi a produzir: mussarela, queijo frescal, padrão, requeijão de corte, doce de leite pastoso, iogurte e ricota” contou Herbam Guimarães Júnior, de 38 anos, que tem uma produção de queijos e buscava mais qualificação.  “Aprendi a fazer linguiça, presunto e outros embutidos, fazemos tudo e também a defumação. Curso bem intensivo, mas é fácil aprender” revelou Sebastião Alvarenga Procópio, de 52 nos, atualmente aposentado, mas quer produzir presunto para consumo com os amigos.

comentários