Carlinhos Neves anuncia volta de Robinho ao time e critica calendário

Carlinhos Neves confirmou a volta de Robinho contra o Fluminense (Foto: Bruno Cantini/CAM)
Carlinhos Neves confirmou a volta de Robinho contra o Fluminense (Foto: Bruno Cantini/CAM)

O coordenador técnico do Atlético-MG foi o primeiro a confirmar a boa notícia no clube: Robinho está de volta ao time. Carlinhos Neves também explicou sobre a alta incidência de lesões que acometem os jogadores do Galo.

O atacante Robinho, recuperado do desgaste muscular na coxa esquerda, que o tirou de cinco jogos, será titular contra o Fluminense, nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Independência. E Carlos Eduardo já iniciou o período de transição para os gramados, recuperado de edema na coxa.

– Robinho já ficou aqui fazendo o trabalho de transição. O Carlos Eduardo inicia hoje o processo de transição. O Leonardo Silva está na segunda semana. Acredito que na terceira semana ele estará iniciando o processo de transição.

Sobre a grande polêmica que envolve o clube no momento, a presença de sete atletas com problemas musculares, Carlinhos destacou que a comissão técnica do ex-treinador, Diego Aguirre, não tem culpa. São eles Leonardo Silva, Edcarlos, Mansur, Dátolo, Carlos Eduardo (em fase final de recuperação), Lucas Pratto e Clayton.

– Aqui no Atlético-MG, nenhuma (culpa da comissão de Diego Aguirre no excesso de lesões). Não conheço o histórico no Inter. O trabalho foi muito bem estruturado, muito bem desenvolvido. Se voltarmos um pouco, vocês vão ver o tanto que foi difícil jogar contra o América-MG, contra o Racing. Continuo com a mesma posição com relação à comissão do Aguirre. Não tem culpa nenhuma. Um trabalho que nos levou às finais do Mineiro, às quartas de final da Libertadores. O que houve foi uma sequência de partidas importantes e jogos difíceis. A equipe estava acostumada a jogar nos finais de semana, e jogamos também no meio de semana. Perdemos o Leonardo Silva, que já era esperado, pela idade. Perdemos o Pratto depois do primeiro gol contra o São Paulo. Ele sentiu na comemoração. Mas não saiu porque o Carlos pediu para sair no intervalo. O que acabou agravando a sua lesão.

Carlinhos explicou também a situação de Dátolo, que está na terceira lesão muscular no ano. O motivo da última foi a antecipação do retorno por conta da importância do jogo contra o São Paulo.

– O Dátolo, por conta da importância da partida, quebramos o protocolo. Corremos o risco diante da necessidade.

O motivo do excesso de lesões, segundo Carlinhos Neves, foi a sequência de jogos decisivos.

– Um tema um tanto quanto longo. Historicamente o mês de maio é complicado no Brasileiro. São mais ou menos de nove ou até dez partidas. As oitavas da Libertadores coincidiram com as finais do Mineiro, e depois as quartas. Foram jogos que repetimos a equipe. Até então não vínhamos repetindo. A equipe sentiu nessa sequência, tempo de recuperação menor. A gente assume que passou da média histórica nossa. Mas não se trata de não excesso de cuidado ou cuidado nenhum. A gente segue com o trabalho dos nossos departamentos integrados. Agora estamos nesse processo, mesmo com tanta gente fora, com capacidade de reagir. A direção também está trabalhando para repor as peças. Temos jogadores voltando.

Por fim, Carlinhos condenou o calendário do futebol brasileiro.

– Esse momento é muito crítico. Temos pouco tempo de recuperação e de treinamentos. Volto a falar do calendário, que é mal elaborado. Muitos jogos em período curto. E teremos mês que jogaremos quatro jogos. Isso não aconteceu somente com o Atlético-MG. Vários clubes do Brasil estão com problemas de atletas lesionados. Só vamos conseguir um número menor de lesões quando tivermos um calendário melhor distribuído.

comentários