Conhecimento e mercado levam Samuel Alves à Europa

Passeio, descanso e visita aos amigos que lá residem, foco da viagem

Um produtor ávido de aprendizagem

Forjar a carreira de um produtor cultural definitivamente, não é uma tarefa fácil para quem opta por fazer desta arte, uma profissão. Por isso, são poucos os que se aventuram a mergulhar nesse universo profissional, cercado de glamour, mas que exige conhecimento e capacitação de vários setores da arte de produzir. Escrever, visitar museus, ler, assistir e participar de shows, acompanhar os fóruns culturais, ser membro de conselhos de cultura, ficar atentos às publicações de editais culturais, saber escolher o que interessa, enfim, não é uma tarefa simples e só prazerosa. Ela exige e muito do produtor.

É nesse caldeirão de muitos componentes e temperos, que se encontra inserido o produtor cultural Samuel Alves. Uma produtor de linha de frente acostumado a enfrentar as durezas e mazelas da profissão. Com anos a fio, militando na área, Samuel, já fez de tudo um pouco. A trajetória do que faz hoje, é fruto de sua persistência, quando optou por mesclar a arte de tocar nas rodas de samba, com a necessidade de colocar na praça os trabalhos que tinha vontade de produzir. Assim, de uma experiência e outra, foi exercitando nas produções de amigos que estavam e já trabalhavam na noite.

Um pouco do produtor

Músico Autodidata e Produtor Cultural, Samuel Alves iniciou as atividades em 1987, tocando nos principais grupos de samba e pagode e outros gêneros musicais de Itabira e região. Mais tarde, em suas andanças trabalhando profissionalmente, coordenou e atuou em shows aqui e excursões em Portugal, quando em junho de 2004, a convite, esteve à frente de projetos culturais, levando a cultura mineira para fora do país.

A experiência vivenciada nesta trajetória de vida, estimulou-o a seguir em frente nessa nova trajetória de vida, que está abrindo portas no cenário artístico e nos grandes eventos locais, regionais e agora internacional. Não custa lembrar que, em dezembro de 2018 participou do evento AMIGOS DE FERNANDO BRANT e GONZAGUINHA entre várias personalidades da cena musical e esportiva.

O que vem pela frente

Como bem destacado acima, a arte de produzir veio como a prática do ofício. Aos poucos foi conhecendo os profissionais de marketing, na parte de som e luz já tinha um conhecimento e envolver todo esse aprendizado na produção foi acontecendo nos trabalhos que foi aventurando. E o que inicialmente era uma diversão virou profissão. Em suas mãos, passaram grandes artistas que viram em seu trabalho, um grande potencial profissional. Nas apresentações de artistas de renome, vieram diversos convites para acompanhá-los em turnê Brasil afora. Embora lisonjeado, Samuel de forma bem consciente, sentia que ainda não era o momento para dar saltos maiores.

O tempo passa, a maturidade cresce. Alguns de seus amigos músicos instigados por conhecerem novos mercados fora do país, decidiram alçar voos antes jamais imaginados. São esses artistas itabirano, outrora companheiros de rodadas de sambas nos fins de semana, que os convidam para uma viagem de reconhecimento de novos povos, novas tecnologias, e, de quebra, um passeio merecido com a família. Convite ousado para quem sonha alto.

O mercado externo bate à porta

É com esse espírito solidário dos companheiros que não os esqueceram, que o mercado além-mar acena positivamente para ele. Através deste artistas radicados na Europa, poderá vir de lá, quem sabe, um novo “up” em sua carreira de produtor cultural.

Portanto, o próximo passo do produtor itabirano, é conhecer um pouco mais desta tecnologia que se aplica no exterior, onde pretende conhecer novos equipamentos, traçar novos horizontes, sobretudo, ampliar o campo de trabalho. Por isso, de olho nesse mercado que abraçou seus companheiros, que ele acredita que uma viagem a passeio poderá abri novas possibilidades neste mercado tão desejado por muitos. “A minha expectativa, é que, com essa viagem, eu possa aprimorar os meus conhecimentos e, na medida do possível, capacitar-me e formar novos amigos”, finalizou Samuel Alves.

Por José Norberto – Produtor Cultural

comentários