O GRUPO DO TRÂNSITO – SATISFAÇÃO URBANA

por José Luiz de Araújo

Conhecida como “Grupo do Trânsito”, a reunião organizada pelo Vereador Solimar Silva, desde 2012, é um encontro periódico e informal com a participação espontânea de representantes de importantes instituições públicas, privadas, associativas, classistas e de cidadãos comuns para discutir os mais variados aspectos relacionados à Mobilidade Urbana em nossa cidade.

O eixo das discussões é o tráfego de pedestres, de cadeirantes, de veículos particulares, coletivos, de carga, de serviço, táxis, motocicletas e bicicletas. Os debates acontecem democraticamente em torno de questionamentos e sugestões dos participantes e, muitas vezes, extrapolam a órbita deste eixo, se aproximando de um conceito mais humanístico ao abordar outros aspectos ligados à acessibilidade, espaço público, sinalização, segurança das vias, serviços públicos e qualidade de vida: A SATISFAÇÃO URBANA. 

Na última reunião (23/08) estiveram representadas, entre outras, a Vale, a Polícia Militar de Minas Gerais e a Transita. Com o objetivo de fazer uma triagem no grande número de propostas e sugestões a fim de estabelecer prioridades em função da urgência/necessidade, algumas foram postas em segundo plano e outras descartadas para as discussões do momento, como a construção de trincheiras, viadutos e elevadores na Praça Acrísio e a transformação do Mercado Municipal em estacionamento, por exemplo.Sobre a Rodoviária, cuja mudança é um desejo quase unânime na Cidade, neste último encontro, não houve discussão; foram apenas citadas – sem qualquer detalhe pormenorizado – duas propostas apresentadas por mim. Uma sugerindo a criação de uma nova rota para quem segue motorizado da Esplanada para a Saúde e o bairro Pará, e outra propondo a mudança da Rodoviária para a área da Mineradora Vale entre a Rua do Esmeril e a Via 105, em frente à Praça do Areão.

As propostas que tenho apresentado, entretanto, vão além do trânsito e da Rodoviária. Elas sugerem também (para futuras reuniões) um Terminal Turístico, um Terminal de Transporte Coletivo Urbano, uma Rua de Pedestres, uma Galeria de Arte Aberta, a construção de calçadões contínuos e padronizados em direção aos bairros, o combate à exploração econômica do Espaço Público, um viaduto ligando a Rua do Esmeril à Av. Mauro Ribeiro e até um VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) aproveitando a linha férrea, com extensão até o bairro Pedreira do Instituto e seis ou sete estações até o bairro Praia.

Todas estas propostas, juntamente com a sugestão de reforma da Praça Acrísio, apresentada desde 2001 a seis dos sete últimos Secretários de Desenvolvimento Urbano, são oferecidas à comunidade itabirana voluntariamente a título de colaboração como cidadão. São viáveis e exequíveis. A Administração Pública tem a judicatura e a decisória para implantar, não estas ideias especificamente, mas um verdadeiro MARCO DA REFORMA URBANA preconizada pelo Plano Diretor do Município e pelo Estatuto das Cidades, que está sendo elaborado pelo Ministério das Cidades.

Acesse os anexos:
José Luiz de Araújo – Servidor Público

comentários