Sind-UTE/MG denuncia a possibilidade de pagamento diferenciado do 13º de 2019

Receber salários em dia é um direito de toda a classe trabalhadora. O Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG) denuncia a possibilidade de pagamento diferenciada do 13º referente a 2019 e publicizada pelo governo do Estado.

O Sindicato reafirma que essa diferenciação no pagamento do 13º não dialoga com as necessidades de todo o funcionalismo público e demonstra a falta de compromisso de Zema com os/as trabalhadores/as em educação.

É urgente lembrar que o governo estadual descumpre a Constituição Federal, ao não executar os 25% do orçamento na Educação. No primeiro semestre desse ano, investiu apenas 17, 53%. O Sind-UTE/MG frisa que a pasta possui recursos vinculados, que são destinados à folha de pagamento e, nesse sentido, o governador parece não reconhecer a importância desse quadro de profissionais.

Precarização do ensino

A educação pública já sofre com o sucateamento promovido por Zema, que cortou mais de 40 mil vagas do programa Escola de Tempo Integral e demitiu mais de 9 mil educadores/as, e segue procedendo demissões todos os dias, por meio da política de fechamento de turmas na rede estadual de ensino. Na Educação de Jovens e Adultos (EJA) tem fechado turmas e recusado matrículas. Essa medida, além de não dar continuidade ao processo pedagógico, propicia evasão escolar.

O Sindicato lamenta profundamente que o governo esteja na contramão do desenvolvimento social, quando nega um direito básico e importantíssimo para a formação dos filhos e filhas da classe trabalhadora.

Ao refirmar seu compromisso na luta pela valorização da categoria e qualidade do ensino, o Sind-UTE/MG reforça que a educação é um acordo social e deve ser encarado como uma obrigação do Estado.

Seguiremos na luta pelo pagamento no quinto dia útil, pelo Piso Salarial, por nomeações e pelo pagamento integral do 13º de 2019.

comentários