Sistema Municipal de Cultura

Iniciada efetivamente há cinco anos, a busca para a solução dos paradigmas do desenvolvimento cultural de Itabira teve uma resolução feliz na tarde de hoje quando a matéria sobre o assunto, enviada pelo prefeito municipal, foi votada a favor por todos os vereadores.

 Após este passo, há mais alguns a percorrer e o primeiro dele é a sanção do prefeito criando o Sistema Municipal de Cultura com a lei a ser promulgada. Após, o passo seguinte é a criação do Fundo Municipal de Cultura, podendo ser este criado por decreto-lei emitido pelo prefeito, além, é claro de o mesmo estipular o valor a ser destinado ao Fundo na LOA – Lei Orçamentária Anual, já para vigir em 2015.

 Nestes cinco anos foram muitas idas e vindas, delongas, divagações governamentais e a pertinência de alguns em não desistir em resolver esta questão política.

 Ainda em julho de 2009 lançamos o movimento “Em Prol da Cultura Itabirana”, com a participação de várias pessoas quando ainda nos reuníamos no salão do CAI.

Contávamos com a participação do José Norberto Bitinho de Jesus, Ivanilde Nega Moreira, Paulo Teles, Milton Pena, Toninho Aribati, Luís Bira, Miriã Fonseca, Marcelino de Castro, Marconi Ferreira, Zezito Dias, Clenilton, Maria Helena, Túlio Torres e os meninos do RAP, dentre outros.

 Saímos pela Av. João Pinheiro panfletando um extrato com a opinião consolidada de todos os participantes, os quais, naquele momento, contamos com a participação nesta distribuição do ainda Dr. Damon de Sena, hoje prefeito municipal.

cortejo4

Em seguida aconteceu a segunda conferência de cultura, nesta edição ela foi regional, porém de nada se aproveitou daquele encontro, verdadeira sofisma a de tentar criar o ensejo do desenvolvimento cultural no antecessor governo municipal.

 Como tudo estava muito distante, não havia diálogo com o governo e muito menos com a Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade, eu, Toninho Aribati e o José Norberto Bitinho procuramos o vereador Solimar Silva, juntamente com o seu gabinete e em especial a pessoa de Rubiana Fraga, os quais nos receberam muito bem, abriram o plenarinho da Câmara Municipal, assim iniciamos o debate entre os interessados no desenvolvimento cultural de nossa cidade e a nossa assembleia legislativa.

 Há exatamente um ano, na última Conferência Municipal de Cultura, com caráter deliberativo, sendo isto uma imposição do Ministério da Cultura, ficou definido que Itabira iria aderir ao Sistema Nacional de Cultura, e ao aderir passou a ser obrigada a criar o próprio Sistema Municipal de Cultura, o quê, passado estes longos anos, acabou por ser criado hoje, dia 23 de setembro de 2014.

 Neste percurso, entre alentos e desalentos, maldizeres, a minha saída do país por um período considerável e a não desistência dos demais em prosseguir com o debate, em especial o Marcelino de Castro que nunca esmoreceu mantendo este debate em alta.

 Há de se registrar também a disponibilidade de João de Brito em sempre deixar espaço livre no seu jornal TempoÉtica, bem como Marcelo Procópio com O Cometa, os quais sempre procuraram manter a notícia “viva”, mantendo espaço para as publicações ou fomentando a notícia para que os demais citadinos pudessem inteirar-se do andamento, além de não deixar que o governo se esquece-se de mais uma de suas, e primordial, obrigação com a sociedade local.

 Aleluia!

 Por Mauro Andrade Moura

comentários