Tricordiano vence o Galo por 4 a 2 e escapa do rebaixamento

Com uma atuação apática, cheia de erros no ataque e também na defesa, o Atlético encerrou a primeira fase do Campeonato Mineiro com uma derrota de virada para o Tricordiano, por 4 a 2, no Independência. A notícia boa para o Galo ficou por conta do retorno de Victor, recuperado de lesão.

Com a vitória, o Tricordiano se salva do rebaixamento e termina o campeonato na sétima posição, com 13 pontos. Já o Atlético terminou a primeira fase com a segunda posição, com 20 pontos.

Na semifinal, o Atlético enfrentará a URT, que se classificou em terceiro, com a vantagem de jogar por dois empates, ou uma vitória e uma derrota pelo mesmo saldo de gols. Os confrontos acontecerão nos dois próximos finais de semana.

Tudo igual

Desesperado contra o rebaixamento, o Tricordiano encontrou um sonolento Atlético pela frente. Apostando na inatividade de Victor, que voltou de lesão neste domingo, o time de Três Corações finalizou várias vezes de longe. Algumas assustaram, outras foram facilmente defendidas pelo goleiro Alvinegro. Pelo lado atleticano, muita dificuldade em ligar os ataques. Foram 19 passes errados, o que ajuda a explicar a falta de sucesso do setor ofensivo na etapa inicial.

O Galo, que pouco assustava, chegou ao gol aos 26 minutos. Cazares bateu falta na área e Tiago foi agarrado. Pênalti marcado e convertido por Cazares: 1 a 0. O resultado rebaixava o Tricordiano, que foi com tudo para o ataque e buscou o empate. Seis minutos após o gol do Atlético, Marquinhos lançou Juninho, que arrancou pela direita, deixou Mansur para trás e rolou para Marcinho. O atacante chutou, a bola resvalou em Carlos César e tirou Victor da jogada: 1 a 1. Depois do empate, os comandados de Diego Aguirre acordaram em campo. Pablo, de cabeça, e Carlos César e Clayton, de fora da área, levaram perigo.

Galo desligado e Tricordiano salvo

A etapa final começou com pênalti para o Tricordiano. Leandro Donizete errou passe e o time de Três Corações saiu em contra-ataque. Léo Guerreiro dominou livre e foi derrubado pelo ‘General’. Na cobrança, Juninho deslocou Victor e virou o jogo: 1 a 2. O time visitante continuou em cima e foi premiado com o terceiro gol aos oito minutos. Marquinhos dominou a bola perto da linha de fundo pelo lado esquerdo, teve espaço de Carlos César, e tentou o cruzamento. A bola foi direto em direção ao gol e encobriu Victor: 1 a 3.

Com o time completamente perdido, Aguirre colocou Robinho em campo e mudou o esquema da equipe, passando Lucas Cândido para o lado esquerdo. O Galo cresceu em campo. Robinho, Edcarlos e Clayton pararam em boas defesas de Marcão. Lucas Cândido e Eduardo acertaram a trave. Foram várias chances criadas nos minutos finais, mas o Galo parou na eficiente defesa do Tricordiano. No penúltimo lance, após cruzamento, a bola sobrou limpa para Robinho marcar e diminuir: 2 a 3. Na saída de bola, o time de Três Corações saiu jogando, Arnold arrancou livre e marcou para fechar o placar: 2 a 4.

ATLÉTICO 2 X 4 TRICORDIANO

ATLÉTICO
Victor; Carlos César, Edcarlos, Tiago e Mansur (Robinho); Lucas Cândido, Leandro Donizete, Eduardo e Cazares; Pablo (Capixaba) e Clayton
Técnico: Diego Aguirre

TRICORDIANO
Marcão, Rodrigo Paulista, Nilo, Bruno Costa e Marquinhos; João Paulo, Júnior Lemos, Bruno Mineiro e Juninho (Arnold); Marcinho (Diogo Capela) e Léo Guerreiro (Dinei)
Técnico: Paulo César Catanoce

Gols: Cazares, aos 26, e Marcinho, aos 32 minutos do primeiro tempo; Juninho, a 1, e Marquinhos, aos 8, Robinho, aos 49, e Arnold aos 50 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Pablo, Leandro Donizete, Victor (ATL); Rodrigo Paulista (TRI)

Motivo: 11ª rodada do Campeonato Mineiro
Estádio: Independência
Público pagante: 7.662
Renda: R$ 111.260,00
Árbitro: Felipe Fernandes Lima
Assistentes: Ricardo Júnio de Souza e Magno Arantes Lira

comentários