TUMBAITÁ DE VOLTA

por Por José Norberto 
 
norbertoA palavra “inclusão social” anda bastante surrada na boca de quem não deve,  circulando nas esquinas, sobretudo, decantada em páginas questionáveis. Diz o  seguinte  o “Wikipedia”: (espaço de pesquisa eletrônico) sobre o sentido mais amplo da palavra:  – Inclusão social é um conjunto de meios e ações que combatem a exclusão aos benefícios da vida em sociedade, provocada pela falta de classe social, origem geográfica, educação, idade, existência de deficiência ou preconceitos raciais.
 
Digo isso, para louvar o retorno do grupo para Tumbaitá, o qual preenche perfeitamente os preceitos acima, sem precisar utilizar de mecanismo faceiros para ludibriar pobres e incautos garotos e garotas com promessas ilusórias do sucesso fácil, jamais precedido dos princípios apontados acima. 
 
Num determinado momento da vida Jesus pediu encarecidamente, que não levantasse seu nome em falsas promessas. Mas há aqueles mais espertos que os outros, que acham-se capaz de passarem despercebidas as intenções ´cabulosas´ que as suas cabeças de tangerina. Mas essas pessoas não perdem por esperar. A justiça divina é implacável e soberana. 
 
 Ressalto que o Tumbaitá além de ser um dos melhores grupos de dança parafolclórica de Minas e do Brasil, estava há vários anos no estaleiro institucional dos governos passados, sem merecer o apoio da Prefeitura (leia Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade), da Câmara Municipal, da Vale e da sociedade civil organizada de nosso município. Recuperado por essa mesma Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade na gestão atual, estreou ontem no teatro da Casa, em noite de gala bastante concorrida. 
 
É falsos profetas, a inclusão Social é oferecer aos mais necessitados oportunidades de acesso a bens e serviços, dentro de um sistema que beneficie a todos e não apenas aos mais favorecidos no sistema meritocrático em que vivemos. 
 
Nossa cultura tem uma experiência ainda pequena em relação à inclusão social, com pessoas que ainda criticam a igualdade de direitos e não querem cooperar com aqueles que fogem dos padrões de normalidade estabelecidos por um grupo que é a maioria. E diante dos olhos deles, também somos diferentes. Mas não há de ser nada…um dia, uma hora, num momento qualquer, a casa cai.

 

comentários