UM DIA MUNDIAL DA POESIA A ABDIAS DO NASCIMENTO

 

 
Um dos maiores humanistas, intelectuais e defensores da Cultura e dos direitos sobre a igualdade das populações; um verdadeiro estadista das ideias luminosas, um espírito lúcido, sem barreiras, inspirador, figura grata que enriquece a humanidade do mundo falado em idioma português. Devia seu trabalho de alcance internacional, como exemplo de cidadão, tal como o fazem as grandes nações para garantir valores; como a CPLP, por obrigação, trazer em seu programa diplomático, internacionalizar estes exemplos de grandeza espiritual, intelectual e humana. Abdias do Nascimento, completou um século sobre a data da sua natividade a 14 de março do corrente 2014… e nada aconteceu?!
 
Nem por menos, o Dia Mundial da Poesia e o Portal Leste Mais, não querem cometer essa mesma injustiça. Obrigação nossa emendar a falha institucional e mandar aquele abraço solidário da nossa memória para que Abdias do Nascimento e outros como ele: nossos valores, não sejam esquecidos nem abandonados, quando a sociedade civil confronta uma das existências mais difíceis com injustiça e corrupção global.
 
SOB  COMANDO
 
Chamada nominal;
gritaram militares
na cara do povo
imaginando o estigma
do corpo animal.
 
Cruzada sentida
e sem mistério
em quanta ameaça
amarela repetida.
 
Nascimento é seu nome?
Se apresente!
Meu general; aqui o perturbador
das nossas ordens, falando
que o povo tem fome?!
 
Esperança! Grita a multidão…!
Esperança! Repete a população…!
 
Responde o comando:
“Aqui não tem hora conjugal
entre o comando e o povo…”
“…Atenção!
soldados chegando…!”
 
Abdias, na sala, sorrindo!
aplica a filosofia do povo
quando a maré imoral passou em aptidão de regime irracional.
“Exatamente, pode chamar paixão debaixo de comando…”
A face: brilhou, luzindo!
 
A natureza humana não teme a contradição.
Mistura trapos, cria partidos, claros e escuros…
determina linguagens, favorece a renovação.
 
Espanta, austera, fragmenta, estuda, sofre na dor
do fenômeno da maldade retida no lado infeliz da vida;
até um dia um Nascimento afrobrasileiro de análise brilhante, instituto da lucidez humana, abre a porta da autofecundação social pela proteção dos racionais da espécie querida:
olha, desde a primeira vibração… onde vai o amor…!
 
Veladimir Romano
Almere, Holanda, 21-03-2014

comentários