Vacinação contra o sarampo em Itabira está acima do recomendado

 “Cobertura vacinal contra sarampo em Itabira está acima do recomendado pelo Ministério da Saúde”, diz Superintendência de Vigilância em Saúde

Apesar de algumas regiões do país apresentarem casos confirmados, no município não existem. A única maneira de manter a população segura é por meio da vacina.

“A cobertura vacinal contra o sarampo em Itabira está acima do recomendado pelo Ministério da Saúde, para a faixa etária determinada pelo Programa Nacional de Imunização. Mesmo assim mantemos a vigilância”, declarou na manhã desta terça-feira (10) a superintendente em Vigilância em Saúde da Prefeitura de Itabira, Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta. Até o momento, não há registro de nenhum caso confirmado da doença no município e existe um caso em investigação.

Uma criança de um ano e cinco meses de idade foi imunizada com a segunda dose da vacina no último dia 26 de agosto. No dia 31, iniciou com sintomas sugestivos da doença. No entanto, após a avaliação médica o caso foi classificado como reação vacinal, estando ainda sob investigação.

“Assim que tomamos conhecimento deste caso, prontamente o Protocolo foi aplicado. As ações de bloqueio que competem ao município, como avaliação da situação vacinal de todos os contatos do caso suspeito e vacinação imediata dos casos necessários, em até 72 horas, foram realizados. Os exames laboratoriais estão sendo realizados pela Fundação Ezequiel Dias (Funed), mesmo o sarampo tendo sido preliminarmente descartado após avaliação médica”, explicou Thereza Andrade.

O Ministério da Saúde (MS) recomenda a imunização de acordo com o Calendário Nacional de Vacinação. O esquema vacinal contra o sarampo para crianças é de uma dose de Triviral aos 12 meses e outra aos 15 meses de idade. A partir de 12 meses a 29 anos de idade, o MS recomenda duas doses da vacina contendo o componente sarampo e de 30 a 49 anos de idade uma dose. Os profissionais de saúde devem ter comprovação de duas doses da vacinal com componente sarampo, independentemente da faixa etária.

Com o aumento do número de casos em algumas regiões do país, o MS tem intensificado a vacinação e recomendado que crianças entre seis e 11 meses de idade e 29 dias recebam uma dose de Triviral. Esta dose não será considerada válida para fins do Calendário Nacional de Vacinação, devendo ser administrada dose de rotina aos 12 meses e 15 meses.

Em Itabira, até o momento, já foram aplicadas 3.775 doses da tríplice viral – número considerado excelente pelas autoridades em saúde. Thereza Andrade ressalta que todas as unidades de saúde do município estão preparadas para agir em caso de suspeita da doença e orienta que aquele que apresentar febre, tosse persistente, irritação ocular, coriza, mal-estar intenso e manchas vermelhas (exantema) devem procurar uma unidade de saúde, pois, estes podem ser sintomas sugestivos de sarampo.

A Superintendente de Vigilância em Saúde destacou ainda que o Município possui disponível a vacina tríplice viral para a rotina de imunização. As salas de vacinação das unidades básicas de saúde (UBS) funcionam de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h. Quem tiver dúvidas sobre a vacinação contra o sarampo, procure orientações na UBS, preferencialmente, com o cartão de vacinação.

comentários