Campanhas nacionais de multivacinação e vacinação contra poliomielite acontecem em Itabira até o dia 30

Começaram na segunda-feira (5), em todo o Brasil, duas campanhas nacionais de vacinação: uma contra a poliomielite e outra para atualizar os cartões de vacinação (multivacinação). As ações, que seguem até o dia 30 deste mês, acontecem em Itabira, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), nos postos que possuem sala de vacinação. A Superintendência de Vigilância em Saúde, setor municipal que coordena a mobilização, diz que a meta é imunizar 95% do público-alvo de cada campanha.

Contra a poliomielite, devem ser vacinadas crianças com até cinco anos de idade. No entanto, há estratégias diferenciadas para crianças com até um ano incompleto e para aquelas na faixa etária de um a quatro anos. Dependendo do esquema vacinal registrado no cartão, a criança poderá receber a Vacina Oral Poliomielite (VOP), como dose de reforço ou dose extra, ou a Vacina Inativada Poliomielite (VIP), como dose de rotina.

Já o público-alvo da campanha de multivacinação são crianças e adolescentes menores de 15 anos, não vacinados ou com esquemas incompletos de qualquer vacina. Todos dessa faixa etária devem comparecer aos postos de saúde para conferir e atualizar a cartão de vacinação.

O Dia D da campanha (dia da mobilização nacional) será no sábado (17). Nesta data, as unidades do Programa Saúde da Família (PSF) e a Policlínica Municipal funcionarão das 8 às 17 horas. A apresentação do cartão de vacina é imprescindível.

Nos demais dias, as ações acontecem, em horário habitual, nas unidades que possuem sala de vacinação. E devido à pandemia de covid-19 deve ser feito agendamento prévio para a aplicação das vacinas na unidade de saúde mais próxima.

Vacinas

No total, serão oferecidas 14 tipos de vacinas que protegem contra aproximadamente 20 doenças. São elas: BCG (tuberculose); rotavírus (diarreia); poliomielite oral e intramuscular (paralisia infantil); pentavalente (difteria, tétano, coqueluche, hepatite B, Haemophilus influenza tipo b – Hib); pneumocócica; meningocócica, DTP; tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola); HPV (previne o câncer de colo de útero e verrugas genitais); além das vacinas contra febre amarela, varicela e hepatite A.

Neste ano, o Sistema Único de Saúde (SUS) também oferece uma nova vacina, que já está inserida nesta campanha: a Meningo ACWY. A dose protege contra meningite e infecções generalizadas, causadas pela bactéria meningococo dos tipos A, C, W e Y.

Poliomielite

A poliomielite, também conhecida como paralisia infantil, é uma doença provocada por vírus que afeta o sistema nervoso e pode levar à paralisia irreversível dos membros. De acordo com o MS, o Brasil está livre da doença desde 1990; por isso, a vacinação é essencial para manter o vírus fora do país. A meta mínima exigida pelo MS para os municípios é imunizar 95% do público-alvo com vacina oral contra poliomielite (VOP), independente da criança ter sido vacinada em outra situação.

As crianças que forem imunizadas contra a pólio também poderão receber outras vacinas para atualizar suas cadernetas de vacinação, entre elas a tríplice viral, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola. Nestes casos, os agentes da saúde deverão avaliar a situação vacinal de cada criança. O objetivo da ação é diminuir o risco de transmissão de enfermidades e as taxas de abandono do esquema vacinal.

comentários