Dia Mundial do Meio Ambiente e a pandemia

A pandemia da Covid-19 está disseminada globalmente, atingindo o seu pico máximo no Brasil entre os meses de junho e julho. Ultrapassamos o número de 30 mil mortes oficialmente e mais de 500 mil pessoas contaminadas. E é em meio a esse cenário que somos também levados a nos lembrar de que no dia 5 de junho, conforme estabelecido pela ONU, se celebra o Dia Mundial do Meio Ambiente.

O mundo globalizado vive uma das maiores crises sanitárias da história da Humanidade. A pandemia se alastra, mata e amedronta, mas também nos permite reflexões e aprendizados. Em consequência disso, nos lembramos das íntimas relações entre o meio ambiente e nossa saúde, isto é, o bem-estar físico, mental e social. Vale frisar que meio ambiente não é algo distante de nós, restrito às matas e distâncias dos grandes centros. Não. Ele está a nossa volta, ao redor de nossas casas, de nossas praças, do lugar onde vivemos e criamos nossas famílias. Meio ambiente é a vida.

Dentro desse novo mundo que ora vivenciamos, é urgente que adotemos um novo olhar e novas atitudes no sentido de mudar nosso modo de ser, viver e pertencer. Cuidar melhor do meio ambiente, da nossa casa, nossa gente, dos recursos naturais, tão abundantes e diversos em todo o mundo, do desenvolvimento econômico e social; nos dá perspectivas para pensar e planejar o futuro, tendo a certeza de que não teremos que reinventar a vida diante de um caos inesperado. É preciso a clara consciência de que não controlamos a teia da vida e, portanto, não regemos o mundo. Mas somos, sim, fios dessa teia, que harmoniosamente se entrelaçam e tornam possível a vida sobre a superfície desse imenso planeta.

É necessário entendermos que o mundo que está a nossa volta não existe para nos servir em uma relação utilitarista mas em uma união de interesses comuns, em uma troca permanente de respeito e cuidado com a diversidade, pois só com a diversidade é possível existir a vida sobre a superfície da Terra.

Diante de cenário tão difícil e incerto, no Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho, a população da tricentenária cidade de Conceição do Mato Dentro, cidade que nasceu da mineração durante o Clico do Ouro, vem externar sua preocupação e a consciência cívica na busca equilibrada entre a mineração, o meio ambiente e o turismo, sendo a cidade reconhecida nacionalmente por seu potencial turístico e natural como a Capital Mineira do Ecoturismo. Até aqui, temos trabalhado de forma integrada, atualizando nossa política ambiental, modernizando a legislação municipal, melhorando a fiscalização ambiental e fortalecendo os conselhos municipais, que garantem a participação social na gestão ambiental pública em todo o município.

Percebemos que a ideia do pertencimento, fez com que a população de Conceição passasse a integrar as decisões e destinos das políticas públicas e ambientais no município. É preciso refletir: como consumimos, como produzimos, como geramos lixo, como vivemos; pois o tempo não espera ninguém.

José Fernando Aparecido de Oliveira é prefeito de Conceição do Mato Dentro
jfernandoaparecidooliveira@gmail.com

comentários