Grávida de 9 meses é espancada pelo companheiro após chamá-lo de ‘corno’

O suspeito teria chutado a barriga da mulher, além de bater a cabeça dela contra uma parede; a vítima foi socorrida e levada ao hospital Odilon Behrens

Uma mulher de 31 anos, grávida de nove meses, foi agredida pelo companheiro, de 36 anos, na manhã desta terça-feira (21), no bairro de Lourdes, região Centro-Sul de Belo Horizonte. O suspeito teria chutado a barriga da mulher, além de bater a cabeça dela contra uma parede após ser chamado de “corno”. Ele foi preso em flagrante por lesão corporal e a mulher encaminhada para hospital Odilon Behrens, onde foi atendida e já liberada. O casal vivia em um abrigo destinado a receber moradores em situação de rua. 

Após chegar ao local, a Polícia Militar encontrou a vítima deitada, com sangramentos e sendo assistida pelos outros moradores. Segundo o boletim de ocorrência, ela foi levada na própria viatura para a UPA Centro-Sul e, em seguida, transferida para o hospital Odilon Behrens. 

Testemunhas informaram aos militares que a vítima teria chamado o companheiro de “corno”, além de dizer que não queria que ele fosse o pai da criança. Após isso, o homem ameaçou bater na mulher, mas foi retirado do abrigo por outros moradores. Ainda de acordo com relatos das testemunhas, ele retornou pouco depois, cercou a mulher e a agrediu. Ele teria a agarrado pelos cabelos e batido a cabeça dela contra a parede. A vítima caiu no chão, quando recebeu do homem chutes na barriga.

Outros moradores do local afastaram os dois e chamaram a polícia. O suspeito conseguiu fugir.

Ainda conforme o BO, o homem foi localizado andando em outra rua da mesma região. Ao ser abordado, ele confessou o crime e informou que ele e a vítima se conheceram no abrigo e que lá iniciaram o relacionamento, inclusive a engravidando. Segundo ele, na manhã desta terça-feira, ela teria o empurrado e o chamado de “corno”. Com isso, ele acabou desconfiando se realmente seria o pai da criança que ela espera e perdeu a cabeça. O homem foi preso em flagrante e levado para a 2° Delegacia de Polícia Civil, no centro da capital. 

Após retomar a consciência, já no hospital, a vítima contou aos policiais que o homem teria pisado em sua cabeça e em sua barriga, mas não se lembrava de muitos detalhes. Segunda a PM, ela recebeu alta e foi levada para a casa dos pais. 

Ainda conforme informações da PM, a mulher e nem o bebê que ela esperam correm risco de morte.

comentários