Homem é confundido com javali durante caça e é morto pelo amigo em MG

Por ser um local de difícil acesso, suspeito de 45 anos não conseguiu acionar o socorro médico; Polícia Militar apreendeu duas espingardas

Uma caça a javalis entre amigos terminou em tragédia na zona rural de Itanhandu, no Sul de Minas Gerais. Depois de confundir a vítima com o animal, um homem de 45 anos atirou acidentalmente no colega, que não resistiu ao ferimento e morreu no local, conhecido como Fazenda Paraíso. Por ser uma área de mata fechada e difícil

Duas espingardas foram apreendidas pela Polícia Militar no local do crime
Foto: Divulgação

acesso, o suspeito ainda não conseguiu acionar o socorro para salvar o amigo.

O corpo de Paulo César da Silva, 43, foi encaminhado ao IML de São Lourenço, na mesma região, e liberado para os familiares no último domingo (2). Conforme o tenente da Polícia Militar (PM), José Ednilson Marcelino da Silva, o caso foi uma fatalidade. “O autor nos relatou que eles eram amigos de longa data”, complementou.

A dupla teria saído para caçar um javali – animal exótico considerado um dos mais prejudiciais ao meio ambiente e a atividade agrícola – nas redondezas da fazenda, quando o suspeito fez um primeiro disparo. Em seguida, ele achou que o animal estava fugindo, quando atirou mais uma vez. Porém, era o amigo, que estava com outra arma.

Os militares foram acionados pelo próprio suspeito e apreenderam duas espingardas. O tenente enfatizou que eles possuíam o documento de posse de arma, mas não tinham autorização para o porte do equipamento. Ainda segundo Silva, foram localizados 10 cartuchos com o homem. “Pelo que verificamos, foi um homicídio culposo, ele atirou e acertou acidentalmente o amigo”, finalizou.

Prisão em flagrante

Por conta do crime, o suspeito foi preso em flagrante e ouvido na Delegacia da Polícia Civil em Itanhandu. A Polícia Militar Ambiental chegou a ser acionada, porém não foi constatado crime ambiental. Desde 2013, a caça aos javalis é autorizada pelo Ibama.

comentários