Itabira dá passo importante para criação do Parque Científico e Tecnológico com lançamento do Infinita

A associação civil será a gestora de todas as iniciativas e ações que serão desenvolvidas no ambiente do Parque Tecnológico, incluindo as ações da Incubadora de Empresas. Durante o evento, também foi assinada a ordem de serviço para as obras da Fase I do Parque Científico e Tecnológico.

Nesta quarta-feira (5), a Prefeitura de Itabira deu mais um passo importante rumo à construção do Parque Científico e Tecnológico. O prefeito Ronaldo Magalhães, junto com o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Inovação e Turismo, José Don Carlos Alves Santos, lançou o Núcleo de Inovação e Empreendedorismo de Itabira (Infinita). A associação tem o objetivo de contribuir para o desenvolvimento científico, tecnológico, econômico e social do município, além de gerir o Parque Científico e Tecnológico.

“Esta associação civil deve ser a gestora de todas as iniciativas e ações a serem desenvolvidas no ambiente do Parque Tecnológico, incluindo, neste ambiente também, as ações da Incubadora de Empresas. A existência dessa associação civil permitirá a segurança jurídica para os atos e ações a serem praticados e a institucionalização dos projetos a serem realizados dentro do Parque Tecnológico e da Incubadora”, declarou Don Carlos.

A cerimônia aconteceu no auditório da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA), no Parque Natural Municipal do Intelecto, e contou com a presença de representantes de diversas entidades. Durante o evento, Hely Pablo Vieira, presidiu a assembleia de constituição do Núcleo Infinita, ao lado de Don Carlos, que secretariou o ato, inciado com a leitura do edital e apresentação do estatuto. Depois, houve a convocação dos membros para assinatura do documento de fundação da entidade, finalizando com a leitura da ata pelo secretário.

Para Ronaldo Magalhães, a criação do núcleo permite que o desenvolvimento do Parque Científico e Tecnológico não dependa, exclusivamente, do poder público. “Esse núcleo vai comandar, daqui para frente, todos os trabalhos a serem realizados no parque [Científico e Tecnológico] e vai garantir que isso não fique, apenas, nas mãos do poder público, dependendo talvez de um processo político. Temos que nos isentar disso, para que, futuramente, o projeto continue crescendo e se desenvolvendo”, analisou o prefeito.

O grande momento da cerimônia, que aconteceu em seguida, foi a assinatura da ordem de serviço para o início das obras dos espaços de inovação: Centro de Empreendedorismo, Espaço de coworking (ItabiraHub) e Laboratório Aberto (FabLab). O serviço será realizado na Universidade Federal de Itajubá (Unifei) campus Itabira, com recursos próprios da Prefeitura de Itabira, e é a primeira fase de construção do Parque Científico e Tecnológico.

“Hoje assinamos a ordem de serviço das obras de adequação dos prédios da Unifei, para que sejam construídos esses espaços de inovação. Lá, serão trabalhados projetos, pesquisas, produtos, protótipos, iniciação científica, criação de novas empresas e startups, pois, teremos uma gama muito grande de equipamentos de ponta, impressoras 3D, corte a laser etc. É importante ressaltar que esse espaço será aberto para a comunidade e deve ficar pronto em até seis meses”, esclareceu José Eugênio Lopes Almeida, diretor do campus Unifei Itabira.

Saiba mais

Uma das principais metas do Governo Municipal é a formalização do Parque Científico e Tecnológico em Itabira, como algumas das formas de diversificação econômica. Dentro desse objetivo, diversos modelos foram analisados, além de reuniões com vários segmentos da sociedade, a fim de criar um núcleo para contribuir neste cenário.

“Como resultado destes estudos, decidiu-se pela criação de uma pessoa jurídica na forma de associação civil, com a missão de contribuir para ao desenvolvimento científico, tecnológico, econômico e social de Itabira, de Minas Gerais e do Brasil, mediante a estruturação e a gestão sustentável de um ambiente de negócios capaz de potencializar as atividades de pesquisa científica e tecnológica; a introdução de mecanismos que estimulem a criação e permitam o desenvolvimento de programas empreendedores, assim como a transferência de tecnologia, oferecendo suporte e condições necessárias à consolidação de empreendimentos de base tecnológica; e a transformação de ideias em produtos e processos inovadores” explicou José Don Carlos.

Fazem parte da associação a Universidade Federal de Itajubá (Unifei) campus Itabira; Vale; Club Petro; E-Bulder Startups; Cachaça Mineiriana; Rádio Nova 93 FM; Associação Comercial, Industrial, de Serviços e Agropecuária de Itabira (Acita); Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec); Faculdade Una Itabira; Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira (Funcesi); Faculdade Pitágoras Itabira; Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai Itabira); Comunidade Cardume; Sicoob Credivale de Itabira; Instituto ITI; e Companhia Itabirana de Teatro.

comentários