Mutirão ‘Direito a Ter Pai’ começa a receber inscrições a partir desta terça; veja como fazer

Em todo o Brasil mais de 5 milhões de crianças têm certidão de nascimento, mas faltando algo muito importante: o nome do pai. Por isso a Defensoria Pública de Minas realizada o mutirão “Direito a Ter Pai”, projeto que reconhece a paternidade e dá direito ao exame de DNA ou, se não houver necessidade, o reconhecimento de forma espontânea.

As inscrições começaram nesta terça-feira e serão feitas pelo site da Defensoria até o dia 30 de setembro. A coleta do material do sangue será feita diretamente no laboratório e o resultado será anunciado por teleconferência. 

Clique aqui para ver as unidades participantes e os canais digitais de cada uma para inscrição.

De acordo com Michele Lopes, coordenadora do projeto, a iniciativa é importante porque dá as pessoas a oportunidade de ter o pai de forma reconhecida na certidão de nascimento, além de permitir laços afetivos. “Para nós da Defensoria Pública todo caso é de reconhecimento da paternidade é importante porque aquela pessoa não está só em busca de um nome na certidão de nascimento, ela está em busca também de uma relação familiar, uma relação com aquele pai, em busca também do afeto.”

Michelle explica que o mutirão é voltado para quem não tem o nome do pai ou da mãe na certidão e que homens que tem dúvida se é ou não pai de uma criança devem procurar a Defensoria em outro momento.

“Aquele que acredita que incorreu em erro naquele registro pode procurar a Defensoria Pública no atendimento normal que vai ser atendido. Se houver necessidade, a gente vai propor ação negatória de paternidade, mas nesse mutirão é só para aquelas pessoas que não têm o nome do pai ou da mãe na certidão de nascimento.”

comentários