Produção industrial também gera oportunidades em Itabira

Nos últimos meses iniciamos uma série de textos sobre oportunidades existentes em Itabira e sobre a necessidade de tentarmos viabilizar o “desenvolvimento com sustentabilidade” em nosso município. Hoje damos continuidade à nossa série trazendo informações a respeito das indústrias existentes em Itabira e sobre algumas áreas que representam significativo potencial de ampliar as atividades industriais aqui existentes.

Para iniciar, quero falar de uma coisa que atualmente é a base da nossa economia: a mineração.

Itabira é conhecida como cidade mineradora, “berço” da Vale, uma das maiores empresas de mineração do Brasil e do mundo… Apesar de a mineração ser uma atividade “primária”, é importante registrar que em Itabira os minerais mais explorados (minério de ferro e esmeraldas) são “beneficiados” ou transformados por alguns processos industriais, fazendo com que essa atividade seja classificada como uma atividade industrial.

Mas é importante registrar e observar que além da “indústria da mineração” em Itabira também já existem várias outras atividades industriais, como:

* empresas da área de metalurgia, serralheria e outras atividades classificadas como indústria metal-mecânica;

* fábricas de alimentos, como pães, bolos, doces, biscoitos, pipoca, pastéis, pizzas e diversos tipos de salgados;

* fábricas de “chup-chup”, picolés, sorvetes e bebidas, incluindo sucos, cachaças, licores e outras;

* produção de queijos, requeijões, iogurtes e outros derivados do leite;

* frigoríficos, granjas e produção de defumados, embutidos e outros produtos de origem animal;

* indústrias ligadas à área da construção civil, como fábricas de asfalto, pré-moldados de concreto e tijolos;

* fábrica de tecidos;

* empresas de confecção, alfaiataria, malharia e produção de roupas, uniformes e máscara de proteção;

* produção de bolsas, calçados, tapetes e artesanatos de diversos tipos;

* farmácias de manipulação e produção de medicamentos, perfumes e produtos de limpeza;

* produção de cartazes, jornais, revistas, faixas, banners, placas de publicidade;

* fábricas de produtos de borracha e plástico;

* produção de instrumentos musicais;

* fábricas de móveis e artefatos de madeira;

* produção de lenha e carvão.

Em todas essas áreas há possibilidades de gerar mais oportunidades de trabalho e há outras atividades industriais com potencial de gerar muito trabalho e renda, como o reaproveitamento e a reciclagem de materiais – a esse respeito, vale lembrar que em Itabira são geradas, diariamente, dezenas de toneladas de resíduos e há previsão de ser construída uma “Central de Resíduos”, a qual deve contemplar um “Centro de Tratamento e Reaproveitamento de Resíduos da Construção Civil”, um “Centro de Triagem de Resíduos Sólidos” e um “Centro de Compostagem de Resíduos de Capinas e Podas”.

Além disso, o “Plano Diretor Participativo do Município de Itabira” (Lei Complementar Municipal nº 4938, de 28 de dezembro de 2016) prevê a implantação de um “Parque Tecnológico” e de “Incubadoras de Empresas” que devem buscar a implantação de novas indústrias e também o desenvolvimento de parcerias com instituições de ensino superior e ensino técnico profissionalizante, empresas e outras organizações que possam colaborar na criação de novas empresas e na capacitação profissional, de forma a aperfeiçoar as atividades das empresas que já existem no município, inclusive as do setor industrial, e viabilizar a diversificação da economia local e o tão sonhado “desenvolvimento sustentável”.

Portanto, precisamos colocar em prática ações bem objetivas que permitam concretizar essas propostas – por exemplo:

* fomentar o desenvolvimento e a capacitação das empresas do setor metal-mecânico, de forma a potencializar esse setor da nossa indústria;

* incentivar mais a nossa produção rural, tanto da agricultura quanto da pecuária, investindo também na capacitação e na organização dos produtores rurais para incrementar ainda mais as nossas indústrias da área de alimentos, ampliando a variedade de produtos e melhorando cada vez mais a qualidade dos produtos alimentícios de Itabira;

* implantar a “Central de Resíduos” que é aguardada pela comunidade há mais de duas décadas, uma vez que está prevista na condicionante nº 1 da Licença de Operação Corretiva, a qual foi concedida à Vale S/A em 18 de maio de 2000;

* criar formas de incentivar e viabilizar a criação da “indústria da moda” em Itabira, com a implantação de mais empresas ligadas à produção de tecidos, roupas, calçados, bolsas e acessórios – podemos, inclusive, buscar experiências em outros locais onde esse setor é mais desenvolvido, até mesmo em municípios menores que Itabira;

* buscar formas de incrementar a produção de móveis, papéis e outros produtos derivados de madeira, de forma a utilizar no nosso próprio município as grandes quantidades de florestas plantadas, principalmente de pinus e eucaliptus, aproveitando para substituir parte dessas plantações por espécies nativas.

Lembro mais uma vez que estes são apenas alguns exemplos de ações que podem ser colocadas em prática para gerar trabalho, renda e desenvolvimento em Itabira.

Nos próximos textos traremos mais informações sobre oportunidades em Itabira e região. Aguardem! Até breve!

* Nivaldo Ferreira dos Santos é Mestre em Administração Pública, Professor, Líder Comunitário e Servidor Público

comentários