Programa busca fomentar a agricultura familiar em Brumadinho e Mário Campos

Entre as inovações propostas, está a implantação da rastreabilidade da produção agrícola, atividade que permitirá maior controle de qualidade dos produtos agrícolas, como frutas e verduras

A agricultura de Brumadinho e Mário Campos representa um importante setor para a geração de emprego e renda. Brumadinho se caracteriza pela produção de mexerica, tangerina e bergamota, sendo o 3º município mineiro em produção, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em Mário Campos há uma produção considerável de verduras, especialmente para o abastecimento da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Em ambos os municípios, de acordo com o IBGE, há 583 propriedades rurais, um contingente expressivo cuja produção deve ser impulsionada visando a ampliação de empregos e da renda.

De forma a fomentar esse importante setor econômico, a Vale desenvolveu o Programa de Fomento à Agricultura que busca o desenvolvimento da atividade rural, principalmente a de base familiar. “Estamos propondo processos de desenvolvimento rural para dentro da porteira, analisando como está a produção, as formas de uso de agrotóxico, inclusive uma maior reflexão sobre alternativas tecnológicas para minimizar esse uso, como é dado o processamento de alimentos quando é o caso, para compreender o tipo de melhorias a serem feitas tendo em vista ampliar a capacidade produtiva”, avalia o analista da Gerência de Fomento Econômico Luiz Augusto Brozzato.

Além disso, o programa observa o “lado de fora da porteira”, que representa a cadeia de comercialização, envolvendo a agregação de valor e uma maior qualidade à produção, a criação de marcas, rótulos, melhores formas de acondicionamento dos produtos, tendo em vista o acesso à diversos mercados.

Maior valor agregado com uso da rastreabilidade
Entre as iniciativas previstas está a rastreabilidade da produção agrícola das propriedades, uma exigência legal que envolve um conjunto de procedimentos que possibilita identificar a origem do alimento (a propriedade e o produtor) e acompanhar a movimentação de um produto ao longo da cadeia produtiva, como aponta a Instrução Normativa Conjunta 02/2018 do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Temos a expectativa de atingir, nessa primeira fase do Programa, cerca de 50% das propriedades de Brumadinho e Mário Campos. É interessante para o consumidor ter maior garantia sobre a qualidade dos produtos agrícolas, evitando o consumo de alimentos fora dos padrões de qualidade”, ressalta a gerente de fomento econômico, Flávia Soares. “O desenvolvimento do Programa requererá parcerias com instituições diversas, como as secretarias municipais de agricultura, Emater, IMA, Sebrae, entre outros atores com atuação nos territórios envolvidos”, destaca a gerente.

Além da rastreabilidade está previsto o desenvolvimento de código de barras, marcas, embalagens apropriadas e de uma marca para o programa. “A meta é que o consumidor ao chegar no mercado ou feira já perceba pela marca que ali tem qualidade”, diz Luiz Augusto. “Ações fitossanitárias, marcas e selo de qualidade podem aumentar as vendas. Assim, na ponta, pretendemos gerar maior riqueza para os agricultores”, acrescenta.

A diversificação da produção também deve ser melhor refletida nos municípios envolvidos, considerando o mercado da região metropolitana de Belo Horizonte e as condições de solo e clima locais. Está previsto um estudo de mercado que verificará quais produtos vêm de outras regiões para abastecer Belo Horizonte e região metropolitana, bem como a capacidade de produção de Brumadinho e Mário Campos. Também se irá analisar a rentabilidade, tendo em vista a possiblidade de diversificar ainda mais a produção nesses municípios.

“O Programa de Fomento à Agricultura considera que devemos prezar a agricultura, especialmente a de base familiar, sendo ela um importante setor econômico para a promoção do desenvolvimento sustentável e melhoria da qualidade de vida” ressalta Flávia Soares.

comentários